CAVALO QUE TRABALHA, SE OLHA OS DENTES

Se o seu cavalo apresenta algum deste sinais:

No trabalho:

Reação à embocadura
Encapotamento
Sangramento na boca
Dificuldades no flexionamento do pescoço
“Duro” na boca
Diferença de um lado para outro
Irritabilidade no trabalho
Tentar abrir a boca com freqüência durante o trabalho
Ranger os dentes
Balançar a cabeça
Torcer o pescoço

Odontologia

Na saúde:

Perda ou dificuldade em ganhar peso
Deixa cair alimento da boca enquanto mastiga
Machucados nas comissuras labiais, bochechas ou língua
Fístulas faciais
Aumento de volume na face
Cólicas recorrentes
Descarga nasal unilateral
Sinusite
Lacrimejamento unilateral crônico
Dificuldade na mastigação
Odor fétido proveniente da boca ou das narinas
Diarréia crônica
Doenças crônicas que podem estar ligadas à baixa imunidade

fale com o seu veterinário, talvez o seu cavalo precise de um veterinário dentista.

As reclamações quanto à performance são frequentemente relacionadas à alterações na oclusão (desnivelamentos), dentes decíduos (dentes de leite) persistentes, excesso de pontas de esmalte, fraturas dentárias e presença de dentes do lobo.

Cavalos precisam de cuidados odontológicos, pois a mastigação, que é a primeira fase da digestão, é muito importante na quebra dos alimentos que serão processados no estômago e no intestino, portanto, cavalos podem ter dificuldade em ganhar peso ou sofrerem de cólicas ou diarréias crônicas porque apresentam problemas dentários. A longevidade do cavalo também pode aumentar com tratamentos dentários periódicos, pois otimiza a mastigação e equilibra o desgaste dentário que é normal no cavalo.

Potros devem ser examinados desde o nascimento para detectar problemas congênitos, mas geralmente, são tratados quando começam a doma, para que qualquer doença dentária ou desconforto na cavidade oral seja eliminado, facilitando o trabalho do cavaleiro e diminuindo o estresse dos cavalos.  Os dentes dos cavalos estão em constante erupção, por este motivo, tratamentos periódicos são necessários. A freqüência dos tratamentos pode variar muito, conforme o diagnóstico inicial, a idade do cavalo e o tipo de tratamento realizado, mas em geral, os cavalos devem ser examinados a cada 6 meses, principalmente os cavalos atletas.

Um bom atendimento odontológico implica em muito mais do que apenas grosar as pontas dentárias. Na verdade, começa ANTES do tratamento, trabalhando junto com o o cavaleiro, o clínico, o treinador e o tratador para obter informações sobre o cavalo, sinais clínicos e comportamentais, agenda de competições, e possibilidades diagnósticas para definir o tratamento indicado.

O exame de cavidade oral completo deve incluir a colocação de um espéculo oral, palpação dos dentes,  visualização adequada, SEMPRE com o uso de de espelhos odontológicos e algumas vezes com o uso de câmeras intra-orais e uso de exploradores e sondas periodontais. Comumente radiografias são requisitadas como meio diagnóstico auxiliar. O acompanhamento do cavalo após o tratamento é essencial, o dentista deve saber se o cavalo apresentou melhora no trabalho e se ele está se alimentando adequadamente .Os resultados são percebidos rapidamente na maior parte dos casos, muitas vezes no mesmo dia ou no dia seguinte.

A odontologia eqüina vem se desenvolvendo rapidamente, muitos estudos estão sendo realizados nesta área no mundo inteiro, O dentista deve estar atualizado e ter conhecimento de todo o sistema estomatognático, que envolve todas as estruturas relacionadas à mastigação, assim como da fisiologia da mesma. Deve ter conhecimento de anestesiologia, anatomia, das diversas técnicas de ajuste oclusal conforme raça e função e das técnicas cirúrgicas existentes. Existem diversos equipamentos motorizados que devem ser utilizados com cautela pois podem causar sérios problemas.

São essenciais o entedimento e o respeito às características raciais e individuais, ou de diferentes linhagens dentro de uma raça,  como no caso do Puro Sangue Lusitano, que apresenta dentro da mesma raça diferentes conformações e formatos de cabeça.

Cavalos Lusitanos possuem características raciais interessantes, como por exemplo, presença de dentes do lobo (primeiro pré-molar) grandes, o que é incomum em outras raças e raramente se observa sobremordida dos dentes incisivos, o que é comum em outras raças. A rusticidade e docilidade da raça são características que devem ser levadas em conta, pois muitas vezes o cavalo está em boa condição física, mas apresenta, no exame de cavidade oral, maloclusão e lacerações nas bochechas e língua, e normalmente não é necessária apenas uma sedação profunda para que o cavalo permita o tratamento odontológico.

O tratamento odontológico visa não só cuidar das alterações patológicas, como também prevenir novas desordens dentárias e lacerações nas bochechas e língua e pode variar desde um simples ajuste oclusal, que é basicamente o nivelamento dos dentes, até a colocação de aparelhos ortodônticos, tratamentos endodônticos e extrações dentárias.

Carla Michel Omura, MV, Ms
11 7860 6622
11 9839 7363
vetbella@uol.com.br

Cavalos a Venda
Potros a Venda
Potros à Venda
Rua Jandir Carvalho Lanes, 102 - São Bernardo do Campo - São Paulo - Brasil
Tel. (11) 4396 2438 - Cel. (11) 99121 0633 - Fax. (11) 4396 2438 - contato@cavalosdesalto.com.br
Todos os direitos reservados ® 2013